Criança e Consumo

'Criança, a alma do negócio'

Assisti ao documentário “Criança, a alma do negócio” (2008), de Estela Renner, e achei pertinente comentar sobre ele aqui no site. O vídeo trata da influência da publicidade sobre as crianças.

O documentário dá voz a diversos especialistas que tratam do tema. Mas, principalmente, a obra dá destaque à voz das crianças. Várias crianças e mães são entrevistadas, assim como professores e especialistas envolvidos no projeto.

É muito interessante ver como a criança é envolvida pela publicidade, e tomar consciência de que nós somos cidadãos formados por uma publicidade que nos envolveu quando crianças e continua nos envolvendo ainda hoje.

Dentre os vários aspectos desse fenômeno que são abordados no documentário, chama a atenção um depoimento da professora de escola pública Elaine, que aparece no vídeo. Ela nos conta que costuma ver alunas maquiadas na escola já aos quatro ou cinco anos. E diz já ter visto uma menina de oito anos, com calças justas, falar que as usava porque as calças valorizavam o seu corpo.

A própria brincadeira já é encarada de outra maneira. O psicólogo Yves de La Taille diz que as brincadeiras de bonecas eram antes encaradas como exercício de maternagem, porém, hoje, a brincadeira se tornou projeção. Ele diz que ninguém mais brinca de ser mãe da Barbie.

Os meninos também são consumistas. Eles mostram suas coleções de brinquedos, os quais, muitas vezes, são esquecidos no armário.

Vigilância

O documentário mostra como a publicidade se aproveita da não-vigilância paterna para convercer as crianças de que um produto é bom. Em alguns países, propagandas dirigidas a crianças são proibidas. Em outros, elas têm horário definido e não podem passar durante os programas infantis.

A publicidade achou a melhor maneira de atingir o bolso dos pais: convencendo os filhos. Sabe-se que muitos pais escolhem produtos específicos por causa dos filhos. Então, são as crianças que acabam ditando o que vai ser comprado em casa.

O documentário tem o apoio do Projeto Criança e Consumo e foi realizado pela Maria Farinha Produções. O documentário tem como produtor executivo Marcos Nisti, membro da diretoria do Instituto Alana, que promove projetos contra a publicidade abusiva dirigida às crianças. Vale lembrar que nem todos os publicitários e/ou empresas publicitárias tomam as mesmas medidas de marketing, o termo publicidade aqui empregrado, apesar de genérico, exclui os bons profissionais que mantêm uma atitude ética e não-apelativa em seu trabalho.

Celular e TV

Outros temas e consequências importantes advindas da publicidade com alvo nas crianças são tratados. O principal deles é o celular. Crianças que já estão no seu terceiro ou quarto celular; como esse consumo tem parte na inserção da criança em um grupo e em sua identificação como figura social; etc.

Quais medidas precisam ser tomadas, já que as crianças brasileiras são as que mais assistem à TV no mundo? De acordo com dados no IBGE, são quase cinco horas todos os dias em frente à televisão. Quantas dessas horas são supervisionadas pelos pais? A que programas essas crianças assistem e até onde os programas são realmente educativos? 

Assista!

O documentário está disponível online no MSN Vídeos e tem aproximadamente 50 minutos. Assista-o clicando na imagem acima ou no link: ‘Criança, a alma do negócio’. Para mais informações, acesse a página oficial do documentário no Instituto Alana. No site você ainda tem outras alternativas de como assistir ao vídeo e até mesmo baixá-lo em seu computador.

Esta entrada foi publicada em Curta Professor, Filmes e Documentários, Mídia, Política Educacional, Relatos, Todos os artigos e marcada com a tag , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta para Criança e Consumo

  1. Pingback: Ensino público para quem? » Futuro Professor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *